Arquivo da tag: igreja

Sobre as ameaças de comunismo no Brasil

A Última Oportunidade

Trindade, 11 de Agosto de 2014

Amados irmãos intercessores,

especialmente, aqueles que assinaram o voto de Rute por um reavivamento no Brasil,Tenho hoje setenta e seis anos e me converti em 1955, quando eu não tinha mais de dezessete anos, e desde então, nunca pressenti uma ameaça tão grave sobre o Brasil, como a que estamos vivendo hoje.

Essa ameaça refere-se à possibilidade de nossa querida pátria tornar-se Comunista, os direitos do cidadão serem banidos e o estabelecimento de uma perseguição aos cristãos no Brasil. A própria imprensa internacional tem essa preocupação.

Recentemente, ouvi uma entrevista de um grande empresário brasileiro em que ele dizia que sobre o Brasil pesa hoje uma séria ameaça de desindustrialização. E a solução para essa grave ameaça está em nossas mãos. Necessitamos, hoje, de um reavivamento no Brasil, mais do que o ar que respiramos. A nossa única oração nesses dias deve ser: “Senhor, tem misericórdia de nós, ajuda-nos, vê a nossa condição; Por tua bondade, visita-nos; Traga um Pentecostes em nossa nação, como fizestes em Atos 2; Traga o arrependimento para a Igreja Brasileira; Senhor, ministra arrependimento em nossos corações; Perdoa-nos, porque não temos ido aos povos não alcançados e levanta intercessores e profetas em nossa Nação.”

“E que os povos tremam perante a poderosíssima manifestação do nosso Deus”

José Rodrigues.

Esse é o tempo da apostasia? Essa é a igreja do entretenimento?

images

Esse é o tempo da apostasia?

Seria essa a igreja do entretenimento?

 

14 – E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:

15 – Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!

16 – Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.

17 – Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;

18 – Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.

19 – Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.

20 – Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.

21 – Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.

22 – Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.

 

Apocalipse 3:1-22

 

Esse é um dos textos bíblicos mais usados em evangelismo, textos que explanam a salvação e coisas similares, porém, o versículo 20, não diz que Jesus está batendo no coração de um homem pecador, mais pelo contrário, esse texto inicia no capitulo 14 diz que essa carta está endereçada à igreja que está em Laodicéia.

A cidade de Laodicéia situava-se cerca de 80 km de Éfeso e 64km a sudeste de Filadélfia. Era uma cidade muito rica, consistindo em centros de comércio e indústria muito prósperos na época.

A igreja de Laodicéia é designada por Jesus como sendo “morna”, nem fria nem quente, ou indiferente, o que faz com que possamos associar a Igreja de Laodicéia ao período em que a apostasia mais se acentuou na igreja, que começa em 1900 d.C. O termo “morna” é justamente usado em contraposição entre as águas termais quentes da cidade vizinha de Hierápolis e as águas frias e puras de Colossos, o que sugere uma indefinição, ou uma falta de posicionamento por parte dos cristãos laodicenses. Cristãos sem posicionamento definido conferem com o que está escrito em 2 Timóteo 3:5:

Não adianta ter aparência de piedade, mas negar o poder ou eficácia dela. Assim sugere o texto em que Jesus julga a igreja de Laodicéia.

Mais o que mais me deixa intrigado é o fato de que Jesus está de fora, e não dentro daquilo que chamamos de igreja.

Alguns teólogos acreditam que cada carta para as igrejas da Ásia, representa um período da igreja sobre a terra, se isso procede, essa é a igreja que se esqueceu do Senhor, trocando-o pelo amor às riquezas. Ela diz: “Sou rica!”

Nunca se esbanjou tanto dinheiro, nunca houveram tantos templos, tantas cadeiras, tantos condicionadores de ar, tantos eventos, tantos programas de rádio e televisão feita pela “igreja de Cristo”.

Também nunca vi tanta gente que se diz cristão se envolver em lambanças. Terrivelmente o padrão dos ditos cristão é o mais baixo da história, pois nunca se fumou tanto, se foi a festas, bebeu, engravidou fora do casamento, ficou, transou, enganou como agora. Hoje a coisa do “nada a ver” fez com que os crentes pegasse emprestado e não devolvesse, isso é roubo. Crentes que não parecem em nada com o meu Senhor, ou será que Jesus toleraria tanto homossexualismo?  Tanta hipocrisia?

Quero imaginar Jesus vendo todos esses pedidores de dinheiro, que sem nenhum recato, todos os cultos torcem os fiéis para tirar-lhes o que conseguirem. Enquanto isso, missionário é uma espécie cada dia mais rara, pois os que foram, na sua maioria foram abandonados enquanto a igreja começava uma nova reforma.

Esse é o evangelho da cruz? Onde se agradam mais aos homens do que a Cristo? Onde os louvores são direcionados a homens… “eu tenho a marca disso…” “ a minha vida tem sabor de mel…” “Eu vou colher”… “Vou conquistar”… mas no passado, os cristão cantavam “Levarei eu também minha cruz, até por uma coroa trocar”.

Não suporto mais ver oq eu fizeram com o evangelho, que hoje é pregado apenas o que os homens querem ouvir, diluindo a palavra e transformando-a em um suquinho de laranja com pão de queijo, totalmente agradável, mais como disse o saudoso David Wilkerson “evangelho diluído não é evangelho”.

Esse é o evangelho dos homens, o tempo dos homens, para os homens. A igreja que apostatou.

Apenas clamo ao Senhor dos exércitos que tenha misericórdia dos nossos filhos, pois se assim não for, o que será deles, visto que estamos deixando como herança um evangelho e um testemunho estragado.

 

Deus tenha misericórdia de nós.

 

Pr. Max S. Pond.

Sonhadores

Porque ensinar o povo a sonhar?

“Porque, como na multidão dos sonhos há vaidades, assim também nas muitas palavras; mas tu teme a Deus.”
Eclesiastes 5:7

“O Golfinho – A história de um sonhador” é o título de um filme que foi indicado e emprestado a meus filhos por um irmão. A princípio bem bonitinho. Conta a história de um golfinho adolescente chamado Daniel Alexandre Golfinho, que acredita que o verdadeiro sentido da vida é encontrar a onda perfeita. Ele deixa sua família e segue em busca de seu sonho. Por diversas vezes, no fundo, uma voz doce de mulher, a voz do oceano diz que ele tem que escutar seu próprio coração, foi ai que dei um pulo da cadeira.

É essa a grande mentira que foi contada a essa geração! Comecei a pensar no efeito que essa frase causou e tem causado aos nossos contemporâneos. Empresas pagam horas a um consultor, e durante alguns anos eu fui um deles, prestando serviços para Renalt, Nissan, V.W, Citröen, Microlins, Só Frango (Sadía), Embrepar e uma infinidade de clientes. Não se paga pouco a um consultor. Para se ter noção, cobrávamos uma diária de R$500,00 na época, e tínhamos que rejeitar alguns clientes por falta de tempo na agenda, apenas para usar técnicas de Psiconeurolingüistica para ensiná-los a serem obstinados, e seguir sempre seus sonhos, a voz do seu coração. Oh, Deus como me arrependo! Ajudei a afundar um monte de vidas.

Você pode estar surpreso com a minha tristeza, pois não é algo bom fazer que pessoas tenham sonhos? Respondo que não! Não fomos criados para isso.

“Porque, da muita ocupação vêm os sonhos, e a voz do tolo da multidão das palavras”.

Eclesiastes 5:3

O homem que corre atrás de seus sonhos comete três erros graves. O primeiro é sobre a ocupação. Ele não tem tempo para nada, somente para seu sonho, e esse sonho nunca é satisfeito, pois se ele queria uma casa e um carro, quando ele tem, ele passa querer uma casa muito maior, e dois carros mais caros, sempre correndo atrás de algo maior. Seus amigos não o têm mais, nem seus filhos, nem sua mulher, nem Deus. Esse homem perde seus filhos para o mundo, é tratado como um estranho por eles. Sua mulher sozinha, não tem um companheiro que converse e divida os problemas domésticos e cotidianos, por fim ele perde seu casamento, mais não se dá por vencido e casa com outra. Nesse ínterim ele perdeu Deus duas vezes, primeiro porque não poderia ter casado outra vez, e deveria amar sua mulher como Cristo ama sua igreja e por ela se entregou, e também porque não sabe mais o que é orar, ler a palavra, se alimentar do pão do céu.

O diabo quer que estejamos correndo, correndo, correndo, para que venhamos perder os primeiros projetos de Deus para nós: a família, o casamento, a comunhão com ele. O pior não é isso, é que deixamos de viver os sonhos de Deus para nossa vida. Igrejas andam pregando esses princípios de auto-ajuda, os livros mais vendidos são exatamente esses, as músicas cantadas nas igrejas e tocadas nas rádios gospel tem sido essas, que fazem bem ao ego e massageiam a alma. Se pelo menos os homens lesses a palavra de Deus, poucos cairiam nesse engano.

Veja os homens da bíblia que queria seguir seus sonhos: o primeiro é Sansão, que tinha um chamado, um projeto de Deus, e acabou cego, preso, se suicidando, por querer uma mulher. Jonas não queria ministrar em Nínive, por isso pegou por sua conta um navio para Jope, seguindo para Tarsis, mais Deus o trouxe, na marra para onde deveria ir. Agora o que diríamos sobre seguir os próprios sonhos para os que escolheram obedecer a Deus e deixar suas vidas para ganhar algo mais excelente na glória? Estou falando de João Batista, de Pedro, de Noé, Abraão e do próprio Jesus. Eles deixaram tudo, tudo mesmo, para viver os sonhos de Deus.

Quero perguntar se você já ouviu falar de John Wesley? De Charles Finney? John Huss? Jorge Müller? E tantos outros, que deixaram suas vidas, seus sonhos, sua história para viver o que Deus lhes tinha determinado.

Pedro quando foi ser crucificado, pediu que sua cruz fosse colocada de cabeça para baixo, e quando o questionaram porquê, ele simplesmente respondeu: “Não sou DIGNO de morrer como o meu Senhor”!

Quando dois jovens Moravianos se despediam de seus amigos e familiares no porto, para seguir rumo a um lugar de onde não mais voltariam, pois se entregariam como escravos em um determinado lugar, dando suas vidas, para poder pregar o evangelho aos demais escravos, foram questionados por todos ali, pois ainda eram jovens e tinham muita coisa para viver, eles responderam: “Que o Cordeiro receba a recompensa por seus sofrimentos”! E ainda temos coragem de falar de sonhos? Isso na verdade é um culto ao ego.

As canções hoje não são mais como eram as antigas, me lembro de algumas que chocavam:

“Senhor Jesus, ainda não entendo espinhos, mais se a cruz é o fim desse caminho, dá-me mais graça, não sou maior que meu Senhor, apenas Servo”. Grupo Logus

“Se paz a mais doce me deres gozar, se dor a mais forte sofrer, ó seja o que for, tu me fazes saber que feliz com Jesus sempre sou”. Honório G. Spafford – ele escreveu essa música depois de perder três filhas em um naufrágio.

“Tudo, ó Cristo a ti entrego, tudo, sim, por ti darei! Resoluto, mais submisso, sempre, sempre, seguirei”! Judson W. Van de Venter

Mas hoje os líderes querem agradar seu público, pois “casa” cheia é casa próspera, por isso trocaram os hinos que conduziam o povo a uma contrição e a entregar suas vidas e história ao senhorio daquele que é dono dela, por músicas que dizem que não desista, eu serei uma benção, quero de volta o que o diabo roubou, vou viver o melhor dessa terra e outras grande mentiras.

Se você entendeu o que eu quis dizer, me perdoe se ofendi aquilo tudo que você aprendeu até hoje, mais é tempo de acordar. A hora se aproxima e o noivo já está as portas e não levará uma noiva sonhadora, preocupada com os afazeres dessa terra e ocupada demais.

Pr. Max Pond

Setembro de 2011

Seca Espiritual

SECA ESPIRITUAL

 

 

Quando no ano de 2010, houve um período de grande estiagem, e as plantas, a grama e as árvores secaram de uma forma tremenda, nada parecia ter vida. A grama não passava de um amontoado de capim seco e filham sem vida cobriam o chão.

 

 Eu, porém, tentava todos os dias molhar as pobres plantas com uma mangueira, porém o único resultado foi uma enorme conta de água.

 

Então o Senhor me mostrou que assim tem sido a pastagem da igreja. São gastos rios de dinheiro na tentativa de se fazer eventos, templos confortáveis e trazendo pregadores internacionais. O resultado? Nada mais do que um bocado de mato seco junto, porém morto. Assim esta a igreja hoje, com sede de água, duplamente morta, sem vida na palavra, sem vida na adoração, seca. E o que fazer? Eu fiz a mesma pergunta já faz algum tempo atrás, e a resposta foi essa: A chuva quando caiu naqueles dias, fez as plantas renascerem maiores e mais viçosas imediatamente, o que eu tentei fazer artificialmente sem nenhum resultado, nem caiu muita água do céu, mais a que caiu foi suficiente para ressuscitá-las e mantê-las vivas por longa data.

 

 A água que veio de Deus fez um milagre ainda maior. Pois a erva Ficou por meses linda e verde, mesmo sem Chuva. E quando ela novamente veio, supriu por muito tempo. Ficavam dias sem chuva, porém elas se sentiam supridas e sobreviviam sem problema a outros períodos de estiagem. O que precisamos hoje não são encontros de avivamentos, nem gastar dinheiro com isso. Precisamos de Chuva, e para isso acontecer, precisamos atrair a presença da Gloria de Deus outra vez, para que a pastagem dure e alimente verdadeiramente o rebanho e haja saúde espiritual novamente.

 

 ICABODE, a gloria de Deus se foi!

 

 Retornemos ao evangelho, retornemos a Ele, retornemos as nossas reuniões de oração e cultos cheios de temor, sem querem agradar nenhum homem, retornar a viver o amor, sem homens preocupados com suas próprias vaidades a frente, então a chuva vira e molhará a terra por muito tempo, e a terra que foi encharcada, trará a vida outra vez.

 

 E toda honra e gloria será a Ele novamente.

 

Pr. Max S. Pond

 

 Piracicaba, 19/04/2011

A armadura de Saul

A armadura de Saul
A Armadura de Saul

A armadura de Saul

 

38 – E Saul vestiu a Davi de suas vestes, e pôs-lhe sobre a cabeça um capacete de bronze; e o vestiu de uma couraça.

39 – E Davi cingiu a espada sobre as suas vestes, e começou a andar; porém nunca o havia experimentado; então disse Davi a Saul: Não posso andar com isto, pois nunca o experimentei. E Davi tirou aquilo de sobre si.

40 – E tomou o seu cajado na mão, e escolheu para si cinco seixos do ribeiro, e pô-los no alforje de pastor, que trazia, a saber, no surrão, e lançou mão da sua funda; e foi aproximando-se do filisteu.

I Samuel 17:38-40

“Embora seja evangélico e escreva freqüentemente sobre minha fé, nunca aceitei a igreja com facilidade. Algumas vezes, sinto-me fora de lugar dentro dela e tento ajustar-me, como alguém que procura fazer com que um paletó de outro tamanho lhe sirva bem.”

Philip Yansey

(Baseado o livro de Philip Yansey “Perguntas que Precisam de Respostas”)

* Como Deus é?

Visão teológica:

Lógico? Ordeiro? Imutável? Inefável?

Visão Bíblica:

Emocional, flexível, venerável, apaixonado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Temos vivido em meio a uma geração que está cada dia mais apática e esquecida do fervor e do fogo que outrora queimou nossos corações. A conseqüência disso é o descontrolado número de pastores envolvidos com entidades satânicas como a maçonaria, apenas por vaidade, para crescer financeiramente e aparecer na mídia.

Outro fator que esta marcando essa geração é a juventude que acostumada com o mundanismo e não busca mais as experiências verdadeiras e genuínas com Deus, até porque não foram apresentados a elas, o que está acarretando em um grupo de pessoas que nunca tiveram nem mesmo uma experiência com o Espírito Santo e com seu fogo renovador.

A minha alma chora por esses jovens, pois os dias estão passando, e seremos chocados com a volta de Cristo e o reinado do anticristo, porém a igreja não escuta mais falar sobre esses temas, nem sobre santidade, mais apenas sobre sucesso pessoal e prosperidade. O povo que viu os sinais do céu e conseguiram isso em montes, vigílias e retiros espirituais, sem falar em uma disciplina diária de jejum, oração, leitura da palavra e jejuns. Hoje os retiros são verdadeiros clubes, sem nenhuma experiência, mais regado a muito futebol, conversas nada edificantes, banhos de piscinas e piadas, muitas piadas. O monte hoje ficou extinto, e o fim chegando.

Um pastor confessa em vídeo na internet que seus testemunhos e fatos relatados como sendo dele, na sua maioria eram mentira, ou pertenciam a outras pessoas, detalhe é que era alguém por que eu mesmo comprei seu CDs e fui a suas ministrações, mais era tudo fogo estranho, não fogo do céu (leia meu texto sobre a chuva de Deus).

Será que veremos essa geração nas alturas quando o Senhor vier nos buscar?

Peço ao Pai todos os dias que seja breve, e não se esqueça do que estamos vivendo aqui, e de como está sendo difícil ver as pessoas que andaram ao nosso lado escorregando no lodo da vida devassa e caindo nas galerias eternas do inferno. Choro por meus três filhos, pois temo vê-los crescendo em meio a essa geração e com esses exemplos de pessoas que escolheram a morte, ao invés de uma vida eterna com Cristo e uma vida abundante aqui na terra até que Ele venha.

E quanto à igreja, vejo tudo, menos uma casa de oração. Pessoas fazem musica, mais não em espírito e em verdade. Não estou generalizando, pois ainda existem alguns que buscam o verdadeiro evangelho.

Serão necessário outros Luteros, outros Wesleys, John Huss para reformar a igreja, e nos levar de volta ao evangelho?

Ontem estávamos em um evento em Nova Odessa, quando um dos palestrantes falou uma frase “A roupa de Saul”, e de tudo que tinha escutado naqueles dias, essa palavra me subiu ao coração com um sentimento diferente, pois eu tinha orado exatamente ali, para que me viesse respostas sobre o que fazer em relação ao corpo de Deus que esta entre nós e os que viriam (povo, almas). Eu estava em um seminário recheado de grandes e modernos equipamentos de mídia, de som e imagem. Homens que já viajaram o mundo todo estavam falando a nós, e a gigantesca quantidade de pessoas ali, em grande parte pastores, tinha templos, aparelhagem de som e seus derivados, tão grande quanto aqueles. Eu, porém nada tinha, e nem acredito naquilo, pois é dinheiro de Deus empregado erroneamente. Mais ai Deus falou comigo, que Davi tinha matado uma ursa e uma leoa apenas com o que tinha, e não precisaria daquela grande armadura de Saul, ele foi com o que tinha, um cajado de pastor, uma funda e cinco pedrinhas redondas.

Se já não bastasse estar diante de um gigante, ainda temos que estar vestido em uma imensa armadura que vai gerar desconforto e peso. Assim tem sido com aqueles que abraçam CNPJ, grandes contas de água, luz, empregados e demais encargos com aquilo que não é pão.

Vi ali profecia daqueles homens para que levantasse apóstolos, pastores, bispos, levitas, mais engraçado e que eles não oraram para que Deus levantasse missionários. Sabe por quê? Não existe mais, pois quem vai abrir mãos de seus sonhos, indo para uma terra estranha, seguindo sua missão, e passar fome porque sua igreja é egoísta e as contas estão aparecendo e já não cuidam mais dele. Ouvi essa história inúmeras vezes.

Em algumas missões como a JOCUM – Jovens Com Uma Missão, homens são treinados a servir, cavando poços a mão, construindo cômodos, comendo pão seco e dando graça por ele, pois como você acha que será no campo? Abandono, fome, andarão nus e sem se quer receber cartas de suas igrejas.

Eu sei como é, pois eu fui para o campo algumas vezes em minha vida ministerial.

Mais podemos viver sem isso, quando o Senhor nos chama Ele cuida. Deus vai levantar outras pessoas, outros recursos, e vamos com o que temos, pois o gigante vai cair no nome do Senhor mesmo!

Não são as armas e a qualidade delas que nos fará vencer a batalha contra o gigante, mais o nome de quem nos envia contra ele.

Entendi o recado com apenas essa frase. Agora sei que só preciso de armas espirituais, só o que já tenho. Não são templos que agradam ao Senhor, pelo contrário, isso é dinheiro mal empregado, dinheiro errado. Vamos como a igreja de Atos, como a igreja primeira, sendo realmente Igreja e não templo, mais corpo e família.

Que essas sejam as nossas armas contra o gigante, porém o gigante não é apenas um filisteu (o pecado, a impiedade, as almas perdidas para o inferno), temos um grandão a nossa frente, as estruturas eclesiásticas, os homens robotizados pela massificação sobre dizimo e oferta, ensinando o povo errado sobre isso, e fazendo com que fiquem em transe obedecendo ao chefe segamente.

Podem me taxar de perigoso, mais sou verdade, e não luto por uma causa humana, por uma bandeira, nem mesmo por uma ideologia, mais sigo a cruz da qual ninguém mais prega, e então, sou perigoso mesmo, pois prego verdades, sem nenhum medo de andar sozinho, ser abandonado por muitos ou que a maioria nem se quer me queiram ouvir. Aliás, prefiro que me achem assim, o homem mais perigoso do primeiro século era meu Mestre.

Então, sejamos perigosos todos, sem frouxura ou medo, sem limite, sem covardia, não pense infamemente como antes, “ah o povo vai embora se eu pregar coisas assim”, então que vão, mais pregue a verdade, pois se não somos donos de estruturas, não precisamos mentir a respeito do dinheiro deles, então eles voltam a serem apenas ovelhas, como nós. Sem achar que somos maiores do que eles, igualmente, irmãos mais instruídos e não donos deles.

Não precisamos dos aparatos tecnológicos, mesas de som, prédios, para derrotar o pecado, o mundo e a impiedade. Temos braços, pernas, voz… No meu caso ainda tenho um carro, um violão e uma bíblia, para quê mais?

 

Igreja não é um prédio, igreja é um corpo, igreja é Koinonia, comunhão de pessoas com o desejo de adorarem a Cristo.

 

Continuaremos usando aparatos vazios, desarraigados, mas caros, pesados e que nos prendem. Prédios com contas e despesas imensas, sendo que nossos Davis não são mais enviados ao campo missionário, não são sustentados pelo grupo, não tem mais vontade de seguir na jornada do seu chamado.

 

As vidas continuam mortas, apesar da rouba bonita que colocamos sobre denominações. Prédios realmente bem vestidos, de ouro, púrpura e marfim, mas pesados, não fazem aquilo pelo qual foram criados, é apenas um choquinho de leve, nada verdadeiro como deveria ser a igreja. Homens sem roupagem nenhuma iam às praças em caixotes e ali 5000, 3000 almas se entregavam ao reino com suas vidas mudadas, prontos a tomarem seus caixotes e seguirem nesse mesmo mover, esses eram como Davi. Você conhece alguém assim nessa geração? Porque essas coisas não acontecem mais? Porque não existe mais um espírito de graça e súplica em nós.

Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e pranteá-lo-ão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito.

Zacarias 12:10

Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.

Filipenses 4:6

 

Wesley, Moody, Finney… Recentemente, Aime Semple Mcpherson, os pastores da antiga Cruzada Nacional de Evangelização “tenda”, mais que viraram denominações, prédios e perderam sua força de Davi.

 

Que deus tenha misericórdia de nós,

Voltemos ao evangelho!

 

Baseado no livro "Perguntas que precisam de resposta - Philip Yansey" 

 

Kaká – Este é o ritmo do meu jogo – Completo.

I belong to Jesus

“Como podeis vós crer, recebendo honra uns dos outros, e não buscando a honra que vem só de Deus?”

(João 5 : 44)

Casaram virgem, ele e sua esposa. Teve e continua tendo uma carreira brilhante e sem marcas. E apesar do tempo que tem estado em evidência, nunca se ouviu falar de escandalos envolvendo o seu nome, ou alguma conduta que o desabonasse.

É bonito ver todas as suas vitórias e honras, e ouvir ele mesmo narrando sua história, de como o menino que queria jogar ao menos uma partida no profissional, e chegou onde chegou, ou dos reveses que pareria ser o fim de sua tragetória e Deus brada mudando totalmente a história. Será o acaso? Ou será que enquanto os homens corriam apenas atras do vil metal, e ele , sob chacotas e piadas, ficou ao lado de sua bíblia, buscando a Deus durante as concentrações e o Pai viu e resolveu honrá-lo?

Nada é acaso! Porém Deus permite ao homem ser provado, humilhado, passado no fogo, assim como o fogo purifica o ouro. Mas o fim desse homem é me honra. (conforme Deuteronômios Cap. 8)

Sei que muitos pensam: “_ Será que valhe a pena deixar todos os prazeres dessa terra, para viver uma vida de negação?” Assista aos videos e veja você mesmo!

Eu conheci pessoalmente Rodolfo Abrantes, ex Raimundos, cheguei a fumar maconha com ele nos anos 90, quando eu ainda adolescente prestava serviços a uma produtora denominada Look Like Produçoes, que foi uma das que alavancaram a banda. Conheci todos eles, e nunca imagineo um dia ver meu irmão Rodolfo louvando a Deus e o servindo em santidade. A casa dele foi restaurada, a alegria, a esperança. E será que não valhe a pena?

Eu desejo que sua vida seja tão linda, assim como foi na mente de Deus quando Ele sonhou com você pela primeira vez! O segredo para viver isso? Testemunho, vida de santidade, jejum, oração, leitura e conhecimento da palavra. O mais Ele fará.

“Confia no SENHOR e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado.”

(Salmos 37 : 3)

Espero que os videos sejam de grande ajuda na sua caminhada de fé e que sua vida seja um louvor a Deus.  Assim como nosso irmão Kaká tem feito, deixe sua vida cantar louvores a Ele. Que teu testemunho, caráter, fé e vida em santidade, mostre ao mundo quem Ele é através de você.

Deus te abençoe infinitamente mais!!!

Fica na paz do amado Mestre.

Pr. Max Pond